Implantes Zigomáticos

Hoje em dia, a utilização de enxertos pode ser evitada na grande maioria dos casos de perda severa de osso no maxilar superior , através da utilização de implantes zigomáticos. Esses implantes, mais longos do que implantes dentais comuns, são fixados no osso zigomático (osso que forma a maçã do rosto). O osso zigomático é um osso de boa qualidade com volume suficiente para a colocação de implantes e suportar a carga mastigatória quando esses implantes estão conectados a uma prótese fixa.

A técnica foi desenvolvida nos últimos 15 anos. Nos anos 90, o Professor P.I. Branemark (Suécia) começou a utilizar o osso zigomático como ponto de ancoragem para implantes. A idéia do professor Branemark revolucionou o tratamento convencional do maxilar superior atrófico. Os resultados forma tão positivos que após 10 anos de pesquisa os primeiros implantes zigomáticos foram comercialiados e a técnica começou a ser divulgada.

A cirurgia se realiza geralmente sob anestesia geral em ambiente hospitalar.

Diferente de quando se utilizam enxertos de osso, quando se realizam implantes zigomaticos, normalmente os dentes fixos podem ser colocados na mesma semana da cirurgia, evitando assim uma espera que pode chegar a 1 ano em casos tratados com enxertos de osso e implantes regulares.

Daniel Simon
Cirurgião Dentista
CRO-XXXXX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *